• Colaboradores

Jejum Intermitente

Prática inclui longos períodos sem comer e pode trazer benefícios, no entanto é preciso ter cuidado às restrições





Da Redação


Cientistas, médicos e nutricionistas, em diversos lugares do mundo, estão voltando suas atenções para um assunto que tem ganhado destaque principalmente para quem procura por uma forma de perder peso e melhorar a saúde. O jejum intermitente tem ganhado destaque e adeptos. Mas afinal, o que é e quais são os benefícios e riscos de adotar longos períodos sem ingerir alimentos?

O que já se sabe é que jejuar de forma controlada e orientada, pode ativar mecanismos de autodefesa das células que garantem a elas maior longevidade. É isso que se traduz em benefícios para todo nosso organismo. Isso acontece por conta da autofagia (quando as células literalmente comem umas as outras). Esse processo é um mecanismo importante de autolimpeza que existe em todas as células de nosso corpo. Os genes que regulam essa reciclagem de organelas velhas ou malformadas foram identificados por Yoshinori Ohsumi, biologista celular e professor da Universidade de Tóquio, no Japão, ganhador do Nobel de medicina de 2016.

A redução da autofagia leva ao acúmulo de componentes danificados, o que está associado à morte das células e ao desenvolvimento de doenças. Assim, manter o mecanismo ativo seria uma forma de prevenir problemas futuros.

A autofagia é ativada quando a célula está em situações de estresse. Por exemplo, quando o indivíduo fuma um cigarro ou deixa de se alimentar. Para sobreviver, a célula passa a "comer" partes internas, degradando tudo o que tem de ruim. Quanto mais o mecanismo funciona maior a faxina interna.


Mitos e verdades do Jejum Intermitente


Qualquer pessoa pode fazer esse tipo de dieta

MITO - Segundo especialistas que contraindicam o jejum, ele não deve ser feito por crianças, adolescentes, idosos, diabéticos que fazem uso de medicamentos hipoglicemiantes e gestantes.


Não é recomendável praticar exercícios durante o jejum

VERDADE - Quem faz atividades físicas precisa ter um suporte adequado de nutrientes. Se a pessoa passar muitas horas sem se alimentar e, nesse tempo, for praticar exercícios pesados, ela pode ter hipoglicemia.


Durante o jejum, pode beber água?

DEPENDE - Existem diferentes vertentes da dieta de jejum intermitente, mas na maioria delas o adepto jejua completamente. No entanto, manter a hidratação do corpo é primordial, por isso é recomendado ingerir água normalmente.


As taxas de colesterol ruim aumentam

MITO - Esse tipo de dieta existe há séculos, literalmente. Durante o período paleolítico, o homem, para comer, tinha que caçar sua comida. Então, ele passava muitas horas em jejum. Como a agricultura surgiu bastante tempo depois, o que tinha à disposição para comer era, basicamente, proteína e gordura. Hoje, na vida moderna, temos acúmulo de estresse. Por isso, a pessoa pode ter aumento dos níveis de colesterol ruim.


A dieta do jejum intermitente dá resultado

VERDADE – É possível emagrecer fazendo o regime. No entanto, ao fim da dieta, a pessoa pode voltar a engordar, caso retome os hábitos alimentares errados do passado. A melhor maneira para perder quilos extras é a reeducação alimentar. Por isso, antes de iniciar esta dieta, procure um bom Nutricionista.

0 visualização
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

© 2018 - Revista Vitti

Design criado por Murilo Baracho e Renata Cundari