• Colaboradores

Ambiente construído: Consumo de Energia Sustentável

Por Adilson Peloggia Uma preocupação mundial tratada como sustentabilidade e prioridade por nações, instituições e empresas, vem sendo o Gerenciamento do Consumo de ENERGIA. Há questionamentos a respeito, tais como: Quantas pessoas no mundo encontram dificuldades para acesso à eletricidade e a combustíveis domésticos seguros? Qual é a parcela de uso de energia renovável em todo o mundo? O que estamos fazendo para melhorar a eficiência energética do planeta? Quanto economizar? Os processos que utilizam energia como fonte, sempre teveram um papel de destaque na economia e cada vez mais se percebe a importância para a ecologia, pois impacta significativamente no suposto aquecimento global.

Alguns estudos como o “Relatório Estrutura de Acompanhamento Global da Energia Sustentável para Todos”, publicado no Fórum de Energia, em Viena em 2013, devem ser seguidos, com vista a obter respostas rápidas objetivando indicar rumos para as políticas energéticas mundiais. Em 2013 a ONU lançou uma recomendação às grandes empresas para divulgarem os balanços financeiros junto com os de impacto ambiental. Isto vem solidificar a necessidade das empresas em tratar a gestão do processo energético como prioridade. A redução do consumo de energia é a chave para que as empresas vençam a escassez, o aumento de seus custos e alcancem certificação de terceira parte - certificação dada por organizações independentes que atestam e declaram que um produto, serviço, pessoa ou sistema estão em conformidade com os requisitos técnicos especificados, permitindo aprimorar sua reputação ao mercado e junto à sociedade demonstrando o comprometimento de seu negócio com a sustentabilidade ambiental. O Sistema de Gestão de Energia (SGE), tem como base científica a norma ISO 50001, que representa as melhores práticas atuais de nível internacional e foi elaborada com a participação de especialistas, representantes de mais de 60 países. Seu intuito é ajudar as organizações a implementar os processos necessários para entender a linha básica de consumo de energia e, colocar os planos de ação, metas e indicadores de desempenho para reduzir o consumo e identificar, priorizar e registrar oportunidades para melhorar o desempenho energético. A ISO 50001 é apropriada a qualquer organização – independente do porte, setor ou localização geográfica, sendo particularmente relevante para organizações de consumo intensivo de energia ou para organizações que possuem metas corporativas para redução de emissão de gases de efeito estufa. Em fevereiro de 2008, a ISO aprovou a criação do comitê de projeto para desenvolver a nova norma de Sistema de Gestão da Energia - ISO 50001 - e, em junho de 2011, aconteceu o seu lançamento internacional e também no Brasil. No nosso país, o advento da norma é visto com otimismo, pois cobre grandes e antigas lacunas nos projetos de eficiência energética e creditam base científica em nossos sistemas de gestão. Esta norma tem como objetivos:

· Habilitar a organização a estabelecer sistemas e processos para melhoria do desempenho energético, entendido como resultados mensuráveis relacionados à eficiência energética, uso e consumo de energia;

· Promover um uso mais eficiente das fontes de energia disponíveis;

· Conduzir a redução das emissões de gases de efeito estufa e outras emissões ambientais associadas;

· Conduzir a redução do custo da organização com energia.

A norma ISO 50001 deve ser dissiminada, implantada e implementada por todos os usuários de energia, principalmente pelas variáveis geográficas e diversidades regionais presentes no BRASIL, dando ênfase para a Sustentabilidade.

14 visualizações
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

© 2018 - Revista Vitti

Design criado por Murilo Baracho e Renata Cundari